Archive for julho \31\UTC 2014

Aécio Neves confessou que usou o aeroporto e vai se complicar mais!

julho 31, 2014

Depois de passar uma semana se recusando a responder e fugindo de uma pergunta bem simples: “Usou ou não usou o aeroporto?”, o senador tucano Aécio Neves (PSDB) resolver confessar: Usou!

Seu partido elaborou uma nota sob o pomposo título “Voos ocasionais para a pista de Claudio/MG; Aspectos da legalidade”, onde admite que Aécio usou o aeroporto construído quando ele era governador no terreno que era do seu tio-avô.

O problema é que o uso foi clandestino, porque o aeroporto não está autorizado ainda por falta do governo tucano de Minas providenciar documento junto ao Comando da Aeronáutica.

Enquanto isso o público não pode usar o aeroporto, mas Aécio usa assim mesmo, como se fosse propriedade privada de sua família. Aliás essa “falta de pressa” em abrir o aeroporto ao uso público desmente a tese do tucano de que o aeroporto tenha sido construído com dinheiro público para atender empresas da cidade. Fica óbvio que atende é ao uso particular dele mesmo.

Os tucanos afirmam que o uso foi feito de “maneira legal” porque a agência reguladora permitiria “operação ocasional” de helicópteros.

Como é que é? Agora as perguntas que a nação brasileira quer saber são outras:

Aécio usou jatinhos ou helicópteros, afinal de contas?
Ou foi os dois?
E se usou helicóptero, aquele da família do seu amigo senador Zezé Perrella, apreendido com meia tonelada de cocaína, andou fazendo uns vôos por lá também?
O senador Aécio Neves usou ou não o helicóptero dos Perrella?

Essa explicação cheira mal e piora as coisas.

A Anac desmente o tucano e afirma que “trecho do regulamento só é valido para operações realizadas exclusivamente por helicópteros (aeronaves de asa rotativa), e em helipontos ainda não homologados”. Aeroportos não homologados só podem ser utilizados para casos de “emergência em voo para evitar incidente/acidente”.

Aécio reincide na arrogância de quem se acha acima das leis, e que pode misturar o dinheiro público com seus interesses privados impunemente e sem dar satisfações ao público.

Deveria declarar todos seus vôos irregulares e clandestinos, as cargas transportadas, pagar as multas, assumir suas responsabilidades e devolver aos cofres públicos o dinheiro mal gasto na obra para atender à sua família, em vez de insistir em levar vantagem.

fonte: saraiva

Anúncios

Aécio Neves presenteou a família com r$ 14 milhões dos cofres públicos!

julho 21, 2014

Aécio Neves presenteou a família com um aeroporto; a conta, R$ 14 milhões, foi espetada no lombo do contribuinte

“Os equívocos em relação à Petrobras foram muitos. E taí. Hoje a empresa frequenta mais as páginas policiais […] do que as páginas de economia.” As palavras são do candidato tucano Aécio Neves em sabatina realizada na quarta (16), ao criticar o governo Dilma Rousseff.

Nada como um dia depois do outro. Graças ao repórter Lucas Ferraz, ficamos sabendo neste domingo (20) que, antes de deixar o cargo de governador, nosso impoluto Aécio presenteou a própria família com um aeroporto no interior de Minas Gerais, na cidade de Cláudio. Deu de presente é modo de dizer. A conta, R$ 14 milhões, foi espetada novamente no lombo do contribuinte. Tudo dinheiro público.

O Brasil conhece à exaustão obras e estradas construídas perto de propriedades de políticos, sempre sob o argumento de pretensos interesses rodoviários e sociais. Cinismo à parte, para não dar muito na vista, ao menos se permite a circulação de anônimos pelas rodovias.

No caso do aeroporto de Cláudio dispensaram-se maiores escrúpulos. “Choque de gestão” na veia. A pista é de uso praticamente privado da família Neves e seus apaniguados. Um diálogo esclarecedor: perguntado pelo repórter se alguém poderia usar o aeroporto, o chefe de gabinete da prefeitura local foi direto. “O aeroporto é do Estado, mas fica no terreno dele. É Múcio que tem a chave.” O dele e o Múcio citados referem-se a Múcio Tolentino, tio-avô de Aécio e ex-prefeito do município. Pela reportagem, descobre-se ainda que Aécio é figura frequente no lugar –a cidade abriga um de seus refúgios favoritos.

Pego no escândalo, o candidato embaraçou-se todo. Alega que a área do aeródromo particular foi desapropriada. O que, vamos e venhamos, já é discutível: no mínimo não pega bem um governador indenizar sua própria família para uma obra de utilidade social mais do que duvidosa.

Mas a coisa só piora: o processo de desapropriação está em litígio, ou seja, a propriedade permanece sob controle do clã Neves & Cia. Talvez uma ou outra aeronave de conhecidos, ou algum Perrella da vida, tenha acesso à pista. Fora isso, ignoram-se benefícios econômicos gerados pela empreitada ao povo mineiro. Questionado pela reportagem sobre quantas vezes esteve no estacionamento aéreo familiar e o motivo pelo qual uma obra custeada com dinheiro público tem uso privado, Aécio não respondeu. Ou melhor: o silêncio equivale a uma resposta. E a campanha mal começou.

CHEIRO DE QUEIMADO NO AR

Um avião civil é fulminado a 10 mil metros de altura, matando centenas de inocentes. Israel volta a atacar Gaza sem piedade. No Iraque, os anos de intervenção americana resultaram na criação de um califado. Na ausência de lideranças convincentes, a primavera árabe desembocou no inverno de outra ditadura sanguinária no Egito. A direita avança na Europa.

Com a economia mundial em pandarecos, guerras são sempre uma válvula de escape para lubrificar a engrenagem do capital, fazer a máquina girar. A extensão dos conflitos é imprevisível, principalmente quando a ONU mostra-se cada vez mais uma entidade decorativa. Mas que há um odor muito forte de queimado no ar, isto há.

fonte felipe mello

Dilma lidera em SC tem 31% segundo pesquisa Ibope de hoje!

julho 17, 2014

Os números da primeira pesquisa Ibope sobre eleições em Santa Catarina, depois de iniciada a campanha política estão publicados hoje no Diário Catarinense e nos demais veículos do grupo RBS.

Há pelo menos duas surpresas: a primeira, na corrida para o Senado, na prévia estimulada, a liderança está com o deputado federal Paulo Bornhausen (PSB), com 20% das intenções, seguido de Dário Berger (PMDB), com 12% ,e de Miltom Mendes de Oliveira (PT) com 8%.

A segunda, o primeiro lugar na disputa presidencial atribuído a Dilma Rousseff, com 31%, contra 22% de Aécio Neves e 8% de Eduardo Campos.

Na corrida ao governo, Raimundo Colombo (PSD) está na frente com 40%. Segundo lugar para Paulo Bauer (PSDB) com 10% e Cláudio Vignatti (PT) em terceiro com 6%. Afrânio Boppré (PSol) aparece em quarto com 6%.

O governador comemorou os números ontem no festivo lançamento de sua candidatura no Centrosul em encontro que reuniu mais de 6 mil pessoas. Pelos números atuais ele seria reeleito no primeiro turno.

Considerando eleições anteriores estes números começam a se alterar ao longo da campanha e, sobretudo, depois da propaganda no rádio e Tv.

fonte: rbs

Eduardo Campos e Paulo Câmara usam avião do governo de Pernambuco!

julho 17, 2014

Após ter sido anunciado como pré-candidato a governador do presidenciável Eduardo Campos (PSB), o ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB) usou aviões fretados pelo governo do Estado para cumprir agendas administrativas pelo interior, numa estratégia política para torná-lo conhecido. A tática é semelhante à que o ex-presidente Lula adotou em relação à sua escolhida para sucedê-lo. A então ministra Dilma Rousseff, da Casa Civil, passou a acompanhá-lo em eventos de toda natureza.

Paulo Câmara participou de inaugurações em seis ocasiões diferentes. O valor total do aluguel das aeronaves à empresa de táxi aéreo Weston consumiu R$ 205 mil do erário. Em todos os voos, entre os dias 2 e 30 de março, Paulo viajou na companhia do seu padrinho político, como revela um levantamento do JC no Portal da Transparência.

O site fornece para a pesquisa informações detalhadas sobre o aluguel de aeronaves. Antes, a lista com o nome das pessoas a bordo não era publicada. Entre agosto de 2013, início da divulgação dos dados de forma mais transparente, e o dia 24 de fevereiro, quando o então secretário da Fazenda foi confirmado como pré-candidato, o Estado havia contratado 20 voos. Paulo Câmara não foi passageiro em nenhum deles. Viajar não era uma atividade tão comum ao cargo que exercia.

No Carnaval, Paulo Câmara começou a se deslocar para visitar cidades de várias regiões do Estado. Como ainda ocupava a Secretaria da Fazenda, antes das convenções partidárias, podia integrar a comitiva do governador, embora não costumasse fazê-lo. No dia seguinte ao desfile do Galo da Madrugada, no Recife, ele voou para Arcoverde, no Sertão. O frete custou ao Estado R$ 33,5 mil.

A segunda viagem foi realizada no dia 13 de março. Ao lado de Eduardo, Paulo Câmara cumpriu agenda também no Agreste e teve um dia movimentado. Participou da inauguração do Açude da Nação, no município de Bom Conselho, além de inspecionar a construção de uma estrada e de uma Escola Técnica. Seguiu para Garanhuns, onde assistiu ao corte da fita da reforma do Hospital Regional Dom Moura. O segundo voo saiu por R$ 56 mil.

Ter se deslocado de avião possibilitou ao candidato retornar ao Recife a tempo de participar, à noite, de uma evento organizado pelo PSB, em bar na área central da cidade. Paulo e o restante da chapa majoritária da Frente Popular foram apresentados a diversos segmentos da classe artística por figuras como o escritor Ariano Suassuna.

Uma semana depois, Paulo Câmara voou novamente pelo erário para cumprir uma agenda de oito atividades no Sertão. Nenhuma delas com vínculo direto com a pasta que ocupava. Nos dias que antecederam o fim do prazo de desincompatibilização, Paulo intensificou as viagens. Entre os dias 26 e 30 de março, foram três aluguéis de aeronaves, ao custo total de R$ 67,6 mil.

RESPOSTA

Por nota, a assessoria de imprensa do candidato Paulo Câmara (PSB) disse que a presença dele em viagens ao lado do ex-governador Eduardo Campos foi “uma realidade” ao longo dos últimos sete anos. “Elas sempre aconteceram, tanto em voos comerciais como fretados. No entanto, a sua participação nas agendas não era evidenciada na imprensa pela postura discreta do então secretário”, diz um trecho da curta nota.

Antes de agosto de 2013, o nome dos passageiros das aeronaves alugadas não era fornecido ao público. Apenas o nome da empresa e o valor e a data do contrato ganhavam publicidade. Desde que a divulgação dos custos ficou mais transparente, porém, 20 voos foram contratados. E Paulo Câmara não esteve presente em nenhum deles. Só viajou de aluguel pago pelo erário depois que foi anunciado como candidato.

Em julho de 2013, o então governador Eduardo Campos assinou o decreto elevando o grau de transparência nos gastos com aeronaves alugadas dois dias depois da coluna JC Negócios, assinada por Fernando Castilho no caderno de Economia do JC, mostrar que o governo, por meio da Casa Militar, havia contratado R$ 5,1 milhões em viagens em helicópteros e aviões executivos nos últimos 18 meses.

As obras do Rio São Francisco estão assim: 73% concluídas veja as fotos

julho 12, 2014

Como estão as Obras do PAC na Transposição do Rio São Francisco??

A que nível estão as obras do PAC pra transposição do Rio São Francisco, sem procurar na PIG obviamente, mas em blogs e mídias regionais, lá onde estão construindo tudo??

Estão em fase de construção pela maioria, MAS JÁ EXISTEM VÁRIOS TRECHOS PRONTOS… fiz uma coletânea de imagens REAIS recolhidas pela internet ATÉ AGORA, NO FINAL DE 2013, e decidi postar aqui pra vocês…

NO FIM DAS CONTAS TRATA-SE DE NOSSO DINHEIRO…. E EU QUERO SABER COMO ESTÃO MESMO!!

AÍ ESTÃO as que recolhi em vários sites pela internet… NADA DE GRANDE MÍDIA…

A QUEM INTERESSAR POSSA!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eduardo Campos será ouvido pela justiça e Polícia Federal

julho 12, 2014

O ex-governador de Pernambuco e candidato a presidente da República, Eduardo Campos (PSB) deverá ser ouvido pela Justiça Federal, como testemunha de defesa, no caso que investiga a possível participação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef em suposto superfaturamento em obras empreendidas pela Petrobras, entre elas a Refinaria Abreu e Lima. Campos e o candidato ao Senado e ex-ministro da Integração, Fernando Bezerra, deverão ser convocados pela JF para prestarem depoimentos nas próximas semanas.

 

Na sexta-feira, 11, Costa e Youssef participaram de uma audiência de instrução de duas testemunhas de acusação – um agente e um delegado que participaram das investigações na Operação Lava Jato – na sede da Justiça Federal, em Curitiba (PR). Eles não se pronunciaram, porém, estavam acompanhados de seus advogados. Tão logo terminou a audiência, com duração de três horas, ambos voltaram para a cela da Polícia Federal, em Curitiba.

 

Sobre a participação de Campos e Bezerra no processo, o advogado de Costa, Nélio Machado disse que isso deve acontecer. “Continuam (Campos e Bezerra) como testemunhas, embora o juiz tenha solicitado que em cinco dias a defesa diga a motivação para essa indagação; embora não seja razoável o que o juiz solicita, pois a defesa não costuma conversar antes, e a testemunha dirá o que souber diante daquilo que for perguntado”, observou.

 

Machado também ressaltou que não conhece o ex-governador. “Eu não conheço sequer o senhor Eduardo Campos muito menos a outra testemunha que é um candidato a senador pelo estado de Pernambuco. Mas toda essa acusação, ela vem de uma peça de ficção : a ideia de que havia superfaturamento na construção da Refinaria Abreu e Lima”, disse.

 

Além disso, Machado disse desconhecer alguma participação de Campos no processo. “Desconheço qualquer envolvimento do governador, não há nada nos autos nesse sentido, ele jamais foi citado nesse processo”, completou.

 

Já o advogado de Alberto Youssef, Figueiredo Bastos, disse que a audiência transcorreu dentro do esperado e que vai tentar anular o processo. “Não vi nos autos até agora alguma prova concreta que pudesse indicar corrupção na Petrobras. Hoje, as autoridades que vieram aqui deixaram claro que não enxergaram nenhuma prova de um grupo organizado. Não vi e nem reconheci nos autos uma prova concreta que indicasse Alberto Youssef como a pessoa com a capacidade para atuar dentro da Petrobras ao ponto de influenciar empreendimentos como Abreu Lima entre tantos outros”, afirmou.

 

Bastos deve pedir à Justiça, novamente, a liberdade de seu cliente. “Ingressamos com habeas corpus que deve ser julgado agora na semana que vem pela quarta região, na tentativa de suspender duas prisões e estamos ingressando também na semana que vem com mais quatro habeas corpus que visam não só a liberdade como também toda a anulação desse processo”.

 

Durante a tarde, também foram ouvidas outras duas testemunhas de acusação, mas sobre os crimes financeiros cometidos e flagrados pela Operação Lava Jato. As doleiras Nelma Kodama e Iara da Silva, que estão presas e acompanharam os depoimentos. Além delas, mais sete envolvidos no processo também acompanharam.